O assunto de hoje é pontas! Mais especificamente, dores nas pontas!

Está certo que por vezes temos uma relação de amor e ódio com a sapatilha de ponta, e isso até certo ponto é normal.

Mas viver sentindo dores, NÃO PODE SER NORMAL!

Por isso, aqui separei uma série de dicas para você analisar o motivo da sua dor e como acabar (ou ao menos amenizar) a sua dor!

Esse é daqueles posts que tem vídeo no canal. Então, primeiro o vídeo aqui embaixo e, logo depois o texto para quem preferir ler.

1. Como você está protegendo os seus pés?

Pode ser que você ou esteja colocando uma ponteira grossa demais ou não está protegendo o suficiente. Existem vários tipos de ponteiras no mercado: de pano, de silicone, de gel, mais fina, mais grossa, proteções só para os dedos, só para os joanetes e por aí vai.

Sua sapatilha sempre roça no mesmo lugar e te faz bolha? Já coloque um esparadrapo no local antes de dar a bolha!

Existem muitas soluções! O que não pode é dançar com dor, porque aí não há amor que faça a gente dançar bem!

2. Seu alinhamento: você sobe na ponta corretamente?

Lá no post sobre meia ponta eu expliquei como devemos executá-la. O mesmo raciocínio deve servir aqui! Você deve pensar também em subir na sua ponta colocando o seu peso entre o segundo e o terceiro dedo do pé. Pois, se você joga para o dedão demais, pode ser a causa de joanetes e se você subir deixando o peso no mindinho te dificulta o balance e dar o devido valor ao seu colo de pé. Em ambas as situações podemos sentir muitas dores nas pontas.

Além disso, alinhe sua postura! Quando estamos “soltas” e desencaixadas, tendemos a colocar mais peso nos nossos pés do que realmente precisa. Prende sua costela, se puxa para cima, coluna reta e suas dores vão diminuir. Lembre-se de que o seu core deve ter a função de sustentar o seu corpo!

3. Sua sapatilha: ela está mesmo adequada para você?

Uma sapatilha mole demais ou dura demais também pode te fazer sentir dor! Quando ela está mole, seja por você ter um pé mais forte ou por a sapatilha estar muito usada, pode, por exemplo te dar a sensação de encostar o dedão no chão; uma muito dura, não te permite fazer a passagem pela meia ponta. Lembre-se de fazer um fitting adequado e que a sapatilha que a sua amiga gosta (ou a que eu gosto) pode não servir para você! A sapatilha de ponta pode ser de uma marca muito boa, mas, com certeza, não existe uma sapatilha universal que agrade todas as bailarinas no mundo inteiro! Somos todas pessoas diferentes com pés diferentes e usos diferentes!

Outra coisa: seu número está correto? A sapatilha deve servir no pé como uma luva nas mãos! Já ouviu essa frase? Isso porque não pode ser larga ou apertada no box, nas laterais e no cumprimento! Ser justa, não significa apertada! Se você conseguir enfiar seu dedo atrás do calcanhar, significa que o número está grande; se você fizer plié com o pé no chão e sentir que o seu dedão dobra, está muito apertada! Lembram das irmãs das Cinderela quando foram tentar colocar o sapatinho dela e não entrava? É porque ele foi feito para a Cinderela! O mesmo deve ser na sapatilha de ponta!

 

Junto desse, leia também o post sobre cuidados com os pés que ele também pode te ajudar com isso!

 

Depois dessas dicas, espero ter acabado com os seus problemas de sentir dor nas pontas e você dançar e fazer suas aulas de ponta com mais prazer, que é como deve ser!

Qual delas mais te ajudou?

Te espero no próximo post!