Olá Bailarinas e Bailarinos que acompanham o Tutu da Ju!

Hoje o post vai ser sobre uma das marcas de sapatilha super queridinha entre muitos bailarinos: a Gaynor Minden!

Recentemente fiz um fitting com uma representante da marca na minha escola, a Petite Danse, onde eu aprendi algumas coisinhas que eu não sabia, apesar de usar a sapatilha há alguns anos, e também pesquisei outros fatos interessantes no canal do YouTube da Gaynor e resolvi compartilhá-los com vocês!

Já adianto que esse post não é ensinando sobre como fazer seu fitting – mais tarde farei um só sobre isso – mas sim sobre algumas curiosidades sobre essa sapatilha que não se divulga muito por aí!!!

1) O QUE REALMENTE SIGNIFICA AS CORES DOS SACOS DAS SAPATILHAS

Quem já conhece a sapatilha ou ao menos pesquisou um pouquinho sobre a Gaynor, sabe que a marca divide as suas sapatilhas por dureza em cores de sacos diferentes, que segue a seguinte ordem, da mais fraca a mais dura:

a) Saco lilás (Pianissimo)

b) Saco azul (Featherflex)

c) Saco rosa (Supple)

d) Saco amarelo  (Extraflex)

e) Saco verde (Hard)

Mas o que eu realmente não sabia é que a escolha da dureza da sapatilha não deve ser influenciada apenas pela força que a bailarina tem no pé, mas também pela altura e pelo peso da bailarina.

Escolher uma sapatilha mais dura achando que ela vai durar mais, no caso da Gaynor é apenas uma ilusão! Porque TODAS ELAS, NÃO IMPORTA A DUREZA, SÃO FEITAS DO MESMO MATERIAL! Isso ocorre com as sapatilhas tradicionais que são feitas com uma mistura de cola, tecido e papelão!!! As Gaynors são todas de um plástico maleável chamado de “Thermoplastic Elastomeric Polymer” , plástico esse que molda mas não cede, nem encolhe, nem quebra (apenas amolece um pouco com o uso – ao contrário das sapatilhas tradicionais! Algumas podem literalmente quebrar)! Por isso não significa que a verde dura mais e a lilás dura menos!

No meu caso, eu estava acostumada a usar a do saco amarelo e a minha última foi a do saco verde. Mas, a representante da Gaynor com quem eu fiz o fitting, me recomendou que no meu caso o melhor seria o saco azul NO MÁXIMO o rosa. Porque assim eu ia trabalhar mais os meus músculos e tornozelos e iria fortalecer mais os meus pés.

A do saco verde é uma ponta que vai ter deixar mais estável, mas que não tem um trabalho de meia ponta tão bom. Então, eu iria pular do chão para a ponta e iria trabalhar menos meus músculos. Ela é uma sapatilha feita para aguentar mais peso; é uma sapatilha que suporta você, ao contrario das mais moles.

Assim, a Gaynor do saco verde é mais recomendada para bailarinas mais altas e mais pesadas ou mesmo homens que queiram usar ponta e a lilás para bailarinas mais baixinhas e mais leves. Somado a isso, deve sim ser levado em conta a força no pé que a bailarina tem. Meu pe não é lá tão forte assim, mas também não sou iniciante e sou baixinha (1,50m). A Gaynor do saco azul me serviu MUITO bem!!! Espero em breve visitar a loja da Gaynor em NY para poder comprar a minha!!! Quero comprar e testar com o uso e quando isso acontecer também quero contar para vocês!

A Gaynor é uma sapatilha pensada para ficar boa no seu pe desde o instante que você experimenta ela, aos primeiros dias aula e com algum tempo de uso. Não é aquela sapatilha que vai ficando boa conforme o uso! NÃO! Tem que ficar boa desde o momento que você calça pela primeira vez!!! Além de confortável, ela deve ficar bonita no seu pé desde o primeiro uso (e sinceramente não foi isso que aconteceu comigo quando comecei a usar a minha do saco verde)!

A escolha do saco ideal para você pode influenciar nesse trabalho de pontas, que será de maior ou menor qualidade; pode reduzir sua habilidade técnica nas pontas se escolhido errado. Assim, com a sapatilha de dureza ideal para você, você poderá trabalhar melhor e com mais qualidade cada movimento do ballet!

Resultado de imagem para michaela deprince

Escolher a Gaynor do saco verde (a mais forte delas) não quer dizer necessariamente que você é a melhor e mais forte bailarina por causa disso! Algumas bailarinas que são profissionais usam as do saco rosa, azul e até mesmo lilás! A título de exemplo, Michaela Deprince usa o pianíssimo (sac0 lilás) e ninguém tem dúvida de quão boa ela é! Portanto, não se prenda a esse conceito!!!

Escolha a que mais se adeque a você!!! Uma dica que eles deram no canal do YouTube para saber se o seu caso é o saco verde (ou qualquer outro saco) ou não é ao calçar a sapatilha você deve conseguir encostar toda a sola no chão! Sabe a curvatura natural que a Gaynor tem? Se o saco verde for o certo para você, ao calçá-la, você deve encostar a sola do pé retinha no chão, sem fazer a curva dela. Isso sem subir na ponta mesmo, só de calçar como uma sapatilha que usamos para sair. O seu próprio peso deve fazer a curvinha do meio do pe encostar no chão. Se ainda assim, a sapatilha continuar curvadinha, significa que o saco esta errado para você e você deve escolher uma mais fraca.

Outra coisa interessante sobre as durezas também é que você pode alternar os sacos durante a aula (lógico se você tiver condições de pagar! Sabemos que as Gaynors são caras! Ainda mais aqui no Brasil!): usar uma mais leve na barra, que você ira trabalhar mais seus pés, e no centro, você pode usar uma mais dura, que te dará mais estabilidade.

Lembre-se de que nesta escolha, cada bailarina é diferente da outra, tendo suas características próprias. Assim, mesmo que a sua amiga calce o mesmo número que você, vocês duas provavelmente vão usar Gaynors diferentes por algumas variações que a sapatilha permite, dentre elas a dureza. Por isso, seja com a Gaynor, seja com qualquer outra sapatilha, o importante é você experimentar!!! Eles fazem diversos estudos para achar a sapatilha perfeita para cada bailarina e fazem o possível para isso! Mas é claro! Ainda assim não existe uma sapatilha sequer que agrade todas as bailarinas da face da Terra!

2) QUANTO MELHOR A SAPATILHA ESTIVER NO SEU PÉ MENOS PROTEÇÃO VOCÊ VAI PRECISAR

Às vezes a gente pode achar que quanto mais ponteira, mais confortável e melhor para a gente! Mas isso não é verdade! Pelo menos no caso da Gaynor! A Gaynor é uma sapatilha que foi pensada para USAR SEM PONTEIRA! Acreditem! O que me explicaram no “fitting day” é que se você usa uma ponteira muito grossa, ela vai empurrar seu pé para trás e vai apertar seu pé na sapatilha. Além de não ajudar a escolher o tamanho correto, pode te atrapalhar na técnica.

Acreditem! Eu estou acostumada a usar esparadrapo + ponteira fina de silicone! Nas minhas só o fato de eu não usar esparadrapo já dói mais o meu dedão (no meu caso o dedão é o dedo maior. Eu tenho pé egípcio)! E no dia do fitting a Gaynor do saco azul já ficou boa apenas com as proteções acima que são próprias da Gaynor!!! Sinal de que ela realmente ficou boa para mim e melhor da que eu usava antes!!!

3) NÃO LAVE SUA GAYNOR NA MÁQUINA DE LAVAR

Resultado de imagem para nao lavar na maquina

Uma frase dita no canal do YouTube da Gaynor é: “elas são sapatilhas, não camisas”! E é exatamente isso! Você quer mesmo colocar sua Gaynor na máquina e arriscar estragá-la??? Não é porque elas são de plástico, que você deve colocar na máquina!

SIM! Você pode molhá-las, mas não na máquina, por favor!!! E nem com água quente!!! O recomendado por eles é que você lave sua Gaynor com um pano ou esponja mas com o lado amarelo! Evite materiais abrasivos e esfregue no mesmo sentido do cetim! Dessa forma você não danifica o tecido da sua sapatilha!

E na hora de secar, deixe secar à sombra! Lembre-se de que o plástico é moldável. Então, usar agua quente, sol ou secador pode deformar ou amolecer a sua sapatilha! A não ser que seja esse seu objetivo, não o faça!

Para a parte do solado, você pode sim usar uma escovinha para poder limpar melhor. Na parte do cetim, evite! (sei que ja fiz um post aqui que eu usei escovinha para lavar a minha no chuveiro mesmo. Mas fui percebendo, que apesar de limpinha, o cetim ia ficando meio danificado).

4) GAYNORS PODEM SER USADAS POR PROFISSIONAIS E POR INICIANTES

Posso causar polêmica com essa afirmação. Muita gente diz justamente o contrário! Que a Gaynor “trabalha para você”, portanto, não deve ser usada para quem esta começando na ponta justamente porque deve ser primeiro criada essa consciência do trabalho correto da ponta, principalmente o trabalho da passagem da meia ponta para a ponta (Se costuma pensar assim porque aqui no Brasil a gente costuma comprar uma ponta dura para depois ela ficar boa no pé e nesse tempo de amolecer a gente vai trabalhando o  pé).

Pois bem, não é bem assim!  Como dito antes, a Gaynor tem várias durezas para serem escolhidas pela bailarina que vai usá-la. Basta a bailarina iniciante escolher a adequada para ela e trabalhará perfeitamente! Se aconselha que, para este caso, compre as mais molinhas para que trabalhe melhor seus músculos e tornozelos e aos poucos terá mais força. Usar Gaynor não impede um trabalho correto de pontas! Até porque, como também dito antes, a Gaynor é uma sapatilha que fica boa no pé desde o instante em que você compra ela! Não é daquelas sapatilhas que você tem que comprar dura para ela ficar boa depois! Ela é uma sapatilha, inclusive que você já pode comprar e usar no palco logo em seguida!

Então, sendo bailarina iniciante ou uma bailarina experiente, você pode usar Gaynor. Basta escolher o modelo de sapatilha ideal para você!

5) GAYNORS PODEM SER PARA QUEM TEM PÉ FORTE OU FRACO

Essa afirmação também pode causar polêmica. Se ouve muito por aí que a Gaynor é só para quem tem um pé fraco, ou que não seja muito forte! Para qualquer caso: compre a certa para você, que você pode usar sem problemas!!!

Resultado de imagem para zakharova

Svetlana Zakharova usa Gaynor e seu pé não é nem um pouco ruim não é? Pelo o contrário! Muitas bailarinas desejariam ter esse pé!!!

 

Mas, mesmo com muitas vantagens (eu sou super suspeita para falar porque eu AMO mesmo a Gaynor! Porque para mim ela ganha no conforto, na durabilidade e não faz barulhos), lembro a vocês que sapatilha de ponta é algo MUITO pessoal. Inclusive a Gaynor tem bailarinas que não gostam dela! Não existe uma sapatilha de ponta que agrade universalmente a todas as bailarinas! Na hora de escolher, a sapatilha tem ser adequada para você, não machucar mais do que deve (nunca subir em cima dos dedos vai ser indolor! Ballet DÓI!) e ficar esteticamente bonita no pé! Se achou que a Gaynor, ou qualquer outra sapatilha, não ficou boa para você, vá experimentando outras até achar a sua!!!

Até o próximo post!!!

Espero que tenham gostado!!!