você conhece  as olimpíadas  do ballet?

Clique para começar!

como assim olimpíadas? ballet é esporte?

toda olimpíada tem uma grande visibilidade.  só se fala disso.

e sobre o ballet, há quem diga que essa arte não é esporte por não estar nos jogos olímpicos.  mas será que esse argumento é válido? ballet não é esporte?

em vários momentos esportes são incluídos e excluídos dos jogos olímpicos. na olimpíada de 2024, por exemplo, o beisebol foi excluído.

e devido a popularidade do break dance, ele foi incluído nos jogos de 2024!

olha a dança aí como esporte olímpico!

logo, não estar nas olimpíadas não quer dizer que uma atividade não seja um esporte.

“Esporte é uma forma atividade física praticada com finalidade recreativa, educativa, sociocultural, profissional ou como meio de melhorar a saúde.”

depois disso tudo, te convenci que o ballet é um esporte?

e as olimpíadas do ballet? existe ou não?

sim! a comunidade do ballet reconhece uma competição como as olimpíadas do ballet!

a competição internacional de ballet de varna é a mais antiga e e mais prestigiada do ballet clássico!

ela foi criada em 1964 e por tradição acontece normalmente a cada dois anos (sempre nos anos pares).

a de 2020 não aconteceu por motivos óbvios e não teve uma remarcação da data.

a competição reune estrelas do ballet clássico do mundo inteiro.  o maravilhoso mikhail baryshnikov já ganhou medalha de ouro quando concorreu na categoria junior em 1966.

em 2016 foi a vez da bailarina brasileira amanda gomes brilhar e levar o ouro para casa!

amanda chegou a alcançar o cargo de primeira bailarina de uma companhia russa.

a competição possui um nível altíssimo não só pelos competidores mas também pela quantidade de coreografias.

são 3 fases, em que na primeira os bailarinos escolhem entre  uma variação ou  um pas de deux.

 na segunda e na terceira, escolher entre a variação ou o pas de deux, mais uma coreografia contemporânea de até 6 minutos.

ou seja: são 5 coreografias a serem apresentadas.

participar de um evento como esse pode dar ao bailarino uma visibilidade enorme e a chance de novos trabalhos em companhias.