Olá pessoal!

O post de hoje vai ser para ressaltar o uso do uniforme para quem estiver começando ou ainda para quem já faz ballet e possa ter dúvidas do que pode, o que não pode, o que usar ou não. Eu vou detalhar cada coisinha! Lembrando que esse post é voltado para o uniforme FEMININO, justamente porque quem me acompanha são bailarinas! No uniforme feminino tem mais detalhes, inclusive! E é sobre cada um desses detalhes que eu vou falar aqui hoje.

Hoje é daqueles posts que têm vídeo no canal. Então, é só escolher o que você prefere: o vídeo do canal está logo abaixo e depois dele, o texto com o mesmo conteúdo por escrito. Para ficar mais didático e mais visual, vou colocar também as imagens de um post que eu fiz lá no Insta. Vou deixar o link do post do Insta aqui para quem quiser deixar salvo.

1. COQUE

O coque é um penteado muito versátil que serve para MUITAS ocasiões: tem o coque “nózinho” que a gente usa no dia-a-dia apenas para combater o calor ou quando o cabelo está atrapalhando, os mais arrumados ou despojados, a depender do gosto, em festas, casamentos… os mais variados eventos. Mas no ballet clássico ele é SIM parte OBRIGATÓRIA do UNIFORME!

Nas aulas ou nas apresentações de ballet, o coque serve para manter o cabelo firme e evitar distrações, além de dar mais visibilidade ao colo e ao pescoço, facilitando a sua dança e também as correções do professor de ballet.

A dica é: capricha nos grampos e prende MUITO BEM esse cabelo porque ele não pode de JEITO NENHUM soltar durante a sua aula! Seja lá o tipo de coque que você for escolher fazer!

No canal eu já tenho vários vídeos ensinando coques diferentes numa playlist. Eu vou deixar o link dela aqui, porque toda vez que tiver vídeo novo de Coque eu vou colocar por lá.

Na aula, de uma forma geral, o estilo do coque é “livre”, desde que bem preso. Nas apresentações, geralmente há um combinado, que respeite o tema do espetáculo que combine com o figurino (ex: camponesas têm um tipo específico de coque, Giselle tem outro, Don Quixote, tem outro tipo, e por aí vai). Procure saber qual é o combinado com a sua turma, caso seja em grupo (pois o ideal é que ninguém fique destoando), ou se for solo qual é o mais adequado para aquele solo.

2. Collant

Assim como na natação, as mulheres usam maiô, no ballet, as bailarinas vestem collant! No ballet não é body (body é uma peça casual, para usar com outras roupas, embora alguns collants servem como body, nem todo body é collant! Já vou explicar!), nem maiô (maiô é para nadar, ir à piscina ou à praia).

Existem collants dos mais variados tipos, para todos os gostos: preto, colorido, liso, com estampa, com manga, sem alça, frente única, com renda… as opções são infinitas! As marcas de ballet estão dando cada vez mais opções para nós bailarinas, existindo até marcas com foco no ballet adulto!

Escolha aquele que você se sinta melhor, mais confortável (não fique pinicando, não seja cavado, ou que você tenha que ficar ajeitando aquela alça frouxa que cai toda hora), mais bonita! São todas essas coisas inclusive que vão diferenciar um collant de um body ou de um maiô e também o tipo de tecido.

Além disso, se atente ao uniforme da sua escola! Existem escolas que têm o próprio uniforme, ou ainda, que só permitem o uso de collant preto. Mas se você quiser usar mesmo assim o colorido, procure escolas de ballet que permitem o uso dele na aula. E mesmo assim tenha sempre pelo menos um preto no seu armário, pois há algumas situações, como apresentações que vamos ter que usar o preto.

O collant vai servir para dar mais visibilidade ao corpo, facilitando a execução da dança e correções do seu professor e evitando distrações com a roupa. Por isso o usamos quando estamos fazendo a aula. Lógico que um collant bonito, que valorize nosso corpo, vai sim aumentar a nossa autoestima e com certeza pode influenciar nosso desempenho, mas essa não é a única função.

Para quem quiser comprar collants, é só ir em petipa.com.br e usar o cupom tutudaju que você terá 10% de desconto nas peças!

3. Meia Calça

Como ítem obrigatório do uniforme no ballet, além do coque e do collant, temos também a meia calça. Ela vai ter sim a função estética, mas essa não é a sua única função.

Ela serve para manter o corpo aquecido e te dar linhas mais bonitas, mas, neste caso, desde que seja de um tom aproximado ao tom da sua pele. Hoje em dia as marcas estão cada vez mais se preocupando com a diversidade e isso é INCRÍVEL! É claro que meias salmão ou rosa, são a maioria e mais fáceis de serem encontradas, mas hoje já podemos ver de de vários tons, tecidos, e modelos. Preta, salmão, chá, branca, bege… são só alguns exemplos. Mas atentem que as meias calças que usamos no dia-a-dia embaixo de roupas casuais não necessariamente vão servir para o ballet.

Isso porque geralmente as meias do dia-a-dia têm um tecido mais fininho, que rasgam com mais facilidade ou não têm a elasticidade que precisamos para fazer os nossos passos do ballet. Eu prefiro, então, para as minhas aulas a meia calça as de supplex (tipo de tecido) conversíveis, que são as que têm furinho no meio, assim como a da foto acima. Eu gosto dessas pela qualidade do tecido e também quando eu uso ponta, eu coloco a ponteira no pé e a meia calça por cima. Desse jeito, a ponteira não fica saindo lugar. Além disso, é super prático levantar a meia quando saímos da aula e colocar uma outra roupa por cima.

Há quem use a meia calça por cima do collant. Eu particularmente acho visualmente mais feio. Mas se o seu professor não se incomodar, tudo bem. A dica é observar o que as outras meninas da turma fazem. E para apresentações SEMPRE embaixo do collant ou do figurino.

A meia calça, além da função estética e de facilitar as correções do seu professor, pode te proteger de lesões! Pois ela protege de possíveis atritos, seja com o partner, seja na barra, seja no chão e também mantém o corpo aquecido durante toda a aula! O uso obrigatório não é a toa! Por isso, use SEMPRE a sua meia calça!

4. Saia

A saia nas aulas de ballet é um ítem opcional. Dá mais fluidez e beleza aos movimentos, além disso, pode influenciar na nossa autoestima, e como consequência, no nosso desempenho. Quem não dança melhor quando está se sentindo melhor? A saia pode servir para disfarçar algumas de nossas inseguranças como o nosso corpo, como, por exemplo, coxas mais grossas, fazendo nos sentirmos mais bonitas. Não que ter coxa grossa ou um “físico que não seja um padrão para o ballet” seja um impeditivo para quem quer dançar, ainda mais por hobby ou por amor, mas se uma peça pode nos fazer nos sentir melhor e dar mais beleza aos passos quando executamos, porque não usar?

Existem de vários tipos: mais curtinhas, mais compridas, transpassadas, transparentes, mais escuras, e por aí vai. Como eu sou baixinha, eu prefiro as mais curtas ou usar bem na cintura, na altura do meu umbigo, porque assim dá uma sensação de alongar as minhas pernas. Uma pequena dica é dar preferência as que não cubram totalmente a sua perna (não cubra os seus joelhos) e também as transparente. O seu professor precisa ver seu corpo para corrigir se você está encaixada ou não, se o seu joelho está esticado ou não, por exemplo.

Apenas uma observação é que alguns professores proíbem o uso da sainha porque pode atrapalhar a visibilidade das correções, isso pode variar do seu professor ou ainda do tipo de aula. Se for uma aula de pas de deux, por exemplo, principalmente se você estiver começando a aprender, pode ser que o seu professor proíba, porque a saia pode atrapalhar alguns movimentos como as piruetas ou alguns tipos de pegadas. A mão do seu partner pode escorregar na sua saia, e não segurar o seu corpo onde ele deveria, por exemplo. Por isso, em alguns casos, essa proibição não é a toa.

5. Acessórios

 

Agora chegou a vez dos nossos acessórios de dia-a-dia. Brincos, pulseiras, colares, relógios… Pode ou não pode? Como uma regra geral, evite ao máximo esses ítens. Para brincos, use apenas os pequenos. Eles podem te atrapalhar e te machucar ou machucar colegas de sala.

Para essas coisas, use o seguinte raciocínio: este objeto vai me atrapalhar ou vai me distrair? Pode me machucar ou machucar alguém da turma durante a aula? Se a resposta for “SIM” ou mesmo “não sei” ou “pode ser que sim”, não use. Na dúvida, não use. Tire para a aula e depois da aula coloque de novo.

Eu geralmente não uso NADA durante a aula, porque sou o tipo de pessoa que qualquer coisa me distrai! Sou o mais prática o possível! Porque, já tenho as minhas dificuldades de focar 100% na aula e de decorar os passos, imagina com uma distração ou preocupação a mais? As únicas coisas que eu não tiro são meus piercings, mas vou falar sobre isso no próximo tópico.

Uma observação aqui é que, pode ser, dependendo do que você for dançar, o professor combine com a turma de todas usarem um tipo de brinco específico porque combina com aquele figurino ou com aquele tipo de personagem. Aqui vale o que foi dito em todos os outros tópicos que citei esse tipo de caso: procure saber o que foi combinado, e siga esse combinado, para que todas fiquem homogêneas no palco.

6. Piercings e tatuagens no ballet

Já estamos vendo ao longo desse post, que o ballet é cheio de regrinhas e quer que todo mundo fique uniforme no palco. Tenho piercings ou tatuagens, isso quer dizer então que eu não posso dançar ballet ou que eu preciso tirá-los se eu quiser dançar? CALMA QUE NÃO É BEM ASSIM!

A mesma regra que eu disse nos acessórios: se não for machucar ninguém, não tem problema. Às vezes os piercings vão ser mais discretinhos e não incomodam quem usa ou não têm o risco de machucar ninguém. Nesse caso não tem problema você usar. Eu tenho no umbigo e na orelha e não tiro eles no dia-a-dia das minhas aulas de ballet. Eu faço aula todos os dias. Imagina se eu fosse colocar e tirar todos os dias? Agora, vai de você, se você acha que te atrapalha ou não, se pode machucar alguém ou não.

Mas uma observação a ser feita é: atenção às coreografias de ballet de repertório. Os ballets de repertório contam histórias de séculos atrás e muitas vezes somos fadas, camponesas, princesas…. A Giselle, suas amigas e as Willis, não usavam piercings e tatuagens, as fadas da Bela Adormecida também não, Coppélia muito menos, e por aí vai! Se for esse o seu caso de você dançar uma coreografia ou solo de repertório, tire os piercings e esconda a tatuagem. Isso porque existe todo um contexto por trás.

Quando eu dancei La Bayadere, o figurino do primeiro ato tinha barriga de fora e eu tirei meu piercing do umbigo, primeiro por se tratar de repertório, e segundo, porque eu seria a única bailarina com piercing no umbigo! Seria a única diferente das demais! E para o ballet, isso não é o ideal.

7. Uso de óculos para dançar ballet

E dançar ballet de óculos: pode ou não pode? Poder, até pode. Mas vai de você: seu óculos vai cair ou te atrapalhar para fazer suas aulas de ballet? Se sim, opte por outras soluções: como colocar a cordinha na haste ou usar lentes de contato.

Eu sou uma bailarina que usa óculos (tenho miopia e astigmatismo. Quem sabe um dia que eu não queira mais usar óculos e tomar coragem eu faça a cirurgia. Hoje não tenho vontade de fazer e nem estou me planejando para isso, mas nunca se sabe o dia de amanhã). Mas para as minhas aulas de ballet e apresentações eu uso lente de contato porque me sinto melhor assim. Não consigo fazer aula de óculos, porque quando faço souplesse devant ou cambré ou minhas piruetas, meu óculos cai no chão e, ao mesmo tempo, não enxergo bem sem óculos.

Já aconteceu de num dia de ensaio que eu esqueci de levar minhas lentes de contato, a professora falou comigo: “Tutu da Ju, cabeça para mão”. “Não. Para a outra mão”. Errei isso, porque simplesmente eu enxergo mal de longe e não conseguia saber para qual lado era para eu olhar. Também não consigo ver à distância, especialmente se o professor estiver de calça preta, se o joelho está esticado ou dobrado. É cada confusão que eu cometo sem óculos que eu prefiro não arriscar. Geralmente já vou para aula de lente e pronto. Porque ou faço essas confusões ou tenho que ficar colocando o óculos para ver o passo que o professor está mostrando e tirando para fazer, já que ele pode cair. Era só mais trabalho para mim. Então, optar pela lente foi o melhor para mim.

Mas existem casos e casos e pode ser que você não se adapte a lente. É tudo questão de ajuste, do que vai te deixar melhor, mais confortável e não vai te atrapalhar.

8. Unhas de bailarina

Como deve ser a unha de uma bailarina? Sejamos bailarinas profissionais ou amadoras, devemos observar algumas regrinhas quanto a isso também!

De uma forma geral, evite usar unhas muito compridas, pelos mesmos motivos que falei nos ítens anteriores: pode machucar você ou alguém da sua turma no caso das mãos, ainda mais se for no caso de pas de deux. Imagina se você tiver de unha grande e arranhar o seu partner, que deselegância, não é mesmo?

No caso dos pés, principalmente se você já estiver fazendo suas aulas de ponta, mantenha sempre as suas unhas curtinhas, não tão longas, nem tão curtas a ponto de estarem no sabugo. As unhas são proteções e devem estar lá e não devem ser um incômodo a mais. Eu falei um pouco mais sobre isso no post de cuidados com os pés, mas não custa relembrar.

Sobre fazer o pé numa profissional manicure, eu também já falei isso no post que eu citei antes, mas também vou relembrar aqui. Na época que eu o escrevi, eu até ia na manicure porque tinha uma profissional em quem eu confiava, mas hoje não vou mais, simplesmente por um pouco de falta de paciência e de tempo. Se você tem alguém em quem você confia para fazer seu pé, não vejo problema. Se você ainda não tem, e quer testar, também pode. Só evite muito perto das apresentações, porque você corre o risco de sair com um pedaço de pele a menos.

Sobre a cor dos esmaltes, quando eu pinto as minhas unhas, eu adoro um esmalte chamativo. Se for apenas para fazer aula, o esmalte da cor que você quiser, não tem o menor problema! Agora, se você tiver perto de uma apresentação, tire o esmalte ou escolha o mais discretinho possível! Unhas chamativas também são visíveis no palco! A não ser que a cor de unha X tenha sido definida por combinar com aquele seu personagem que você vai dançar, o que não é tão comum assim, opte por não usar esmaltes escuros, coloridos, ou chamativos! Nada de vermelhão, rosa, laranja, verde, azul, preto… o que for na sua apresentação de ballet hein! Isso será visto pelo seu professor, suas colegas de turma e mesmo pela plateia como um desleixo seu! E ninguém quer isso, não é mesmo?

9. Sapatilhas de ballet

Como ítem obrigátorio no uniforme do ballet, temos ainda a sapatilha. A depender se você já está na ponta ou não, você vai usar além da sapatilha de meia ponta, a de ponta também. As marcas de ballet já estão se preocupando em ter cores de sapatilha além da rosa e do salmão, o que é ótimo! Isso torna o ballet mais inclusivo! Alguns exemplos de marcas que fazem sapatilhas em tons de marrons: as nacionais – Evidence e Só Dança, e as internacionais – Gaynor Minden e Freed of London. No vídeo eu mostrei fotos delas para quem quiser ver.

Uma observação que eu sempre falo aqui é que a escolha da sapatilha de ponta é muito pessoal e que você tem que ir experimentando até encontrar a ideal para você. Eu já gravei um vídeo na Ana Botafogo Maison explicando um pouco do processo, que vou deixar o link aqui! Hoje eu uso a Performance da Pas Classique, a ponta da Cecília Kerche. Nesse vídeo aqui, você pode conhecer mais sobre essa ponta.

O fato é que cada pé é diferente e isso torna cada bailarina ÚNICA! Umas vão ter mais força, outras menos, umas mais colo de pé, outras menos, umas pés mais finos, outras pés mais largos, e por aí vai (nos dias de hoje, existe até uma sapatilha de ponta VEGANA para quem tem esse estilo de vida – quem tiver interesse vale a pena a pesquisa.Ela não usa materiais de uso animal, como o couro em sua fabricação. Aliás! A Só Dança tem uma linha toda de sapatos veganos para quem quiser conferir!). Isso já torna as possibilidades infinitas. Por isso, por exemplo, por mais que eu use um modelo de uma marque que eu AME, que no caso hoje, quando estou escrevendo esse post, é a Performance da Pas Classique, pode ser que você experimente a mesma sapatilha e ela não sirva para você.

Sobre a sapatilha de meia ponta, as possibilidades de modelos são inúmeras: de strech, de pano, de couro, veganas como já vimos acima, com sola inteira, com sola dividida, e por aí vai. Hoje a que eu estou usando é a Balloné da Evidence (foto acima), mas também gosto muito da Brisé da mesma marca. Gosto desses modelos pois eles têm uma telinha no solado. Acho PERFEITO para o calor aqui do Rio de Janeiro! O pé fica fresquinho, não sua, e evita os maus odores (o famoso chulézinho)!

No ballet, a sapatilha de meia ponta também não nos deixa derrapar como uma meia, e nem trava nossos pés caso estivéssemos descalças. Então, mesmo que você esteja fazendo ballet de casa neste momento conturbado em que estamos vivendo, entre fazer aula descalça, de meia ou com a sapatilha de meia ponta, escolha sempre a meia ponta!

Além disso, assim como a sapatilha de ponta e a meia calça, deve ser uma continuidade da perna e dar a sensação de linhas longilíneas. Por isso, o ideal é que você combine com a mesma cor da sua meia calça. Por curiosidade, na Dance Theatre of Harlem, a companhia que a Ingrid Silva dança atualmente, mesmo as bailarinas negras, que são a maioria, dançam nas apresentações com meia calça e sapatilhas da mesma tonalidade da sua pele!

10. Ítens de aquecimento

Como o nome já diz, os ítens de aquecimento servem para aquecer o corpo durante a aula. Deixar os músculos quentinhos, especialmente no início da aula vai ser PERFEITO para nos prevenir contra possíveis lesões. Eu não costumo usar muito por causa do calor aqui do Rio de Janeiro. É claro que você pode usar todo dia se quiser e é até melhor que você use. Mas especialmente em dias ou locais mais frios, é muito importante o seu uso!

Para esses ítens existem também uma infinidade de opções: casaquinhos, polainas, segunda pele, shorts, botinhas…. é muita coisa mesmo! Vai do seu gosto e do seu nível de frio! Quando eu começo fazendo aula com esses acessórios eu já começo a tirar logo nos primeiros passos da barra, pois já me esquento logo.

 

E esse foi o post de hoje!

Alguma das coisas que eu falei aqui foi novidade pra você? Comenta aqui embaixo para eu saber!

E eu vejo você no próximo post!