Há poucos dias falei aqui sobre o lançamento do livro novo da Ana Botafogo. Mas, quem também lançou um livro autobiográfico que eu não poderia deixar de citar aqui é a também bailarina brasileira Ingrid Silva. No final do último mês, Ingrid lançou seu livro “A sapatilha que mudou meu mundo” e você pode comprar online em vários sites, como o mercado livre e o submarino, por exemplo.

Eu já conhecia a história dessa bailarina e também já comprei o meu livro. Para quem não a conhece, vou contar um pouco dela por aqui, porque eu tenho certeza que Ingrid é uma mulher forte, cuja história vai inspirar muitos leitores por aqui.

Ingrid nasceu em Botafogo, no Rio de Janeiro e logo se mudou com sua família para Benfica. A casa de sua família ficava perto perto da Vila Olímpica da Mangueira e foi começou a dançar aos 8 anos no projeto social “Dançando para não dançar”, criado por Thereza Aguiar, onde ela e o irmão, Bruno Silva, fizeram suas primeiras aulas de ballet. Ela diz que não sonhava em ser bailarina. Sua mãe colocou os 2 filhos em várias atividades, como o basquete, o futebol, a natação e a ginástica olímpica para que se mantivessem ocupados e não ficassem à toa em casa. Até então, Ingrid gostava era de nadar, o que já fazia desde os 3 anos, e conta que a dança a encontrou de alguma forma.

Aos 12 ela fez uma audição entre 200 crianças e foi aprovada para a Escola de Dança Estadual Maria Olenewa, a escola do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Lá ela conheceu uma professora chamada Edy Diegues que a incentivou a levar o ballet mais a sério e foi se apaixonando. Ingrid também amava ver Ana Botafogo nos palcos do Theatro Muncipal, principalmente pela sua interpretação impecável.

Um pouco mais tarde, aos 13, Ingrid ingressou no Centro de Movimento Debora Colker também através de uma audição em que ganhou uma bolsa, onde teve contato com o ballet contemporâneo e outros estilos de dança. E aos 17 foi dançar no Grupo Corpo, em Minas Gerais.

Depois, já com 18 anos, Ingrid ainda retornou ao Rio de Janeiro e chegou a dar início na faculdade de dança. Ela dançava novamente no projeto com Thereza Aguiar, quando Bethânia Gomes (bailarina negra brasileira que já havia alcançado o posto de Primeira Bailarina no Dance Theatre Of Harlem, em Nova York) assistiu uma aula de Ingrid e a incentivou que mandasse um vídeo para a audição para a companhia de Nova York. Ela não imaginava, mas quem assistiu seu vídeo foi Arthur Mitchell, o próprio fundador da companhia, que hoje já é falecido. Foi aí que Ingrid saiu de uma comunidade no Rio de Janeiro e passou a viver em Nova York, sem falar uma palavra de inglês e sem sua família por perto.

Ela conta que por estar há tanto tempo numa mesma companhia, ela teve a oportunidade de dançar como artista convidada em uma série de outra companhias, tendo contato ainda com outras danças e outros coreógrafos.

Outro acontecimento de suma importância na vida de Ingrid é que ela é a primeira palestrante brasileira de Harvard. Ela conta que em dezembro de 2020 recebeu o convite e a palestra aconteceu de forma online em janeiro de 2021. Nessa palestra, ela falou sobre sua história de vida, abordando principalmente sobre “sonhos, coragem e diversidade”, o que tem tudo a ver com a sua história.

Em algumas vezes vocês já me perguntaram se eu já tive vontade de desistir do ballet, mas não pense que só porque Ingrid é profissional que também não teve essa vontade. Ela diz que o seu primeiro ano fora de casa foi um dos mais difíceis na sua carreira, mas a sua mãe foi a sua principal incentivadora, porque sempre soube que a filha iria conseguir chegar onde chegou!

Ingrid chegou ao cargo de Primeira Bailarina do Dance Theatre of Harlem, mas não é só isso!

Ano passado ela engravidou (ela revela que foi a primeira pessoa da companhia que ficou grávida) e foi capa digital da Vogue, uma das revistas de moda mais famosas do mundo. Ela também foi eleita uma das 100 pessoas negras abaixo de 40 anos mais influentes mundo pela Mipad 2020.

Ingrid também tem projetos sociais o EmpowHer NY e o Blacks in Ballet, e também é embaixadora da marca Activia.

No final de Agosto desse ano de 2021 Ingrid lança seu primeiro livro autobiográfico, “A Sapatilha que mudou meu mundo”, que você pode comprar online.

Abaixo, uma foto que retirei do Instagram da própria Ingrid e as fotos que eu tirei do meu livro! Ainda não comecei a ler, mas já dá para perceber que é uma história inspiradora sobre alcançar sonhos e eu mal posso esperar para começar a me aprofundar nela!

Não foi a primeira vez e provavelmente não vai ser a última vez que eu vou falar da Ingrid por aqui!

Mas por enquanto, fiquem com esse vídeo do canal da Ana Botafogo Maison que eu participei dos bastidores!

Até o próximo post!