Se você tem medo de fazer pirueta no ballet, especialmente na ponta, leia esse post, que eu fiz para te ajudar!

Eu passei a minha vida INTEIRINHA no ballet por esse problema, então quero te ajudar com isso, trazendo algumas diquinhas para te salvar!

Esse é daqueles posts que eu fiz um vídeo para o canal! Eu faço isso sempre porque não sei verdadeiramente quem prefere o que ou quem só me acompanha em um dos dois. Então, o vídeo está aqui embaixo, escolha o que você preferir.

1. Tá com medo de girar? Treina e vai com medo mesmo!

Parece loucura, mas não é! Se você está com medo de girar o que você tem que fazer é encarar seu medo e girar mesmo assim! Eu tenho certeza que você já teve outras experiências na sua vida em que você teve que se superar e encarar o seu medo para poder fazer. No meu caso, essa situação foi dirigir. Eu comecei a dirigir na autoescola. Antes de ter aulas eu não sabia nem trocar as marchas e qual era o momento certo para isso. Eu não conseguia nem me manter em linha era. Eu era um DESASTRE TOTAL na direção! Eu fiz a prova prática da autoescola CINCO vezes, de tão apavorada que eu era! Mesmo depois de aprovada, já dirigindo nas ruas, toda vez que eu pegava no carro para dirigir eu chegava nos lugares tremendo! Parecia que algo de muito grave tinha acontecido comigo! Mas eu estava só dirigindo! Para vocês terem uma ideia do meu medo de dirigir (o de girar era parecido, mas sinceramente, acho que não chegou nem perto)!

E quando esses tremeliques pararam de acontecer? Eu comecei a dirigir todos os dias da casa para faculdade, da faculdade para casa e pufff o medo sumiu! Demorou aí algumas semanas, mas eu parei de ter medo de dirigir um carro. É claro que eu tenho a total noção da responsabilidade que é dirigir e tudo o que pode acontecer caso eu cometa algum erro, mas eu não fico mais pensando “não posso bater, não posso bater, não posso bater…” toda hora como era no início. Hoje dirigir já é um ato natural para mim. Já dirijo na cidade, na estrada, faço viagens, serras… já tive MUITAS experiências com o carro que hoje não tenho mais pavor. E o que me fez parar de ter medo? Dirigir TODOS OS DIAS! Isso se tornou um hábito para mim e por isso hoje eu não tenho mais medo.

Com a pirueta, a MESMÍSSIMA coisa! Se você continuar se paralisando pelo medo, você NUNCA vai perdê-lo! Eu era uma bailarina que ficava apavorada só de preparar a quarta posição para girar. Quando eu consegui fazer pela primeira vez piruetas duplas na ponta com qualidade? Em 2019, quando eu tive que fazer meu solo de Paquita, isso com MAIS DE VINTE ANOS DE BALLET! Meu Deus! 20 anos? Eu preciso de tudo isso para conseguir girar na ponta? NÃO! Esse post é justamente para que VOCÊ NÃO PRECISE PASSAR POR TUDO O QUE EU PASSEI! Treine, peça ajuda a sua professora que você vai conseguir! Eu treinei chegando apenas 15min antes da minha aula. Eu tinha MUITA dificuldade e consegui! Mas só consegui quando comecei a treinar! Então, você pode também!

Eu sei, PIRUETA É DIFÍCIL! Olha a quantidade de coisas que temos que pensar: esticar o joelho, en dehors, passé rápido, encaixa o quadril, fecha a costela, ativa as escápulas, puxa para cima, movimento de braços, bate a cabeça, tudo junto e coordenado! SIM! MUITA coisa e MUITA informação junta, não é mesmo? SIM! E é esse mais um motivo para você treinar e pode ser essa quantidade de coisa que te dá mais medo (parece perigoso girar numa perna só, não é?), especialmente se você já caiu ou já viu alguém cair. Mas, mais uma vez, a gente só “acerta todos esses ponteiros”, o cérebro só para de mandar a mensagem de “ALERTA, PERIGO!”, com treinos! O treino torna a pirueta um hábito e um hábito é uma coisa natural, que não é perigosa para a gente!

E esses treinos não precisam ser exaustivos! Aliás, com treinos exaustivos o nosso corpo e nossa mente não aguentariam! Eu consegui resultados ao longo de um ano com 15min duas vezes por semana! Veja como você pode aliar à sua rotina, e comece! Você vai ver que vai fazer diferença! Eu estou preparando um curso ONLINE de piruetas para também te ajudar com isso! Assim que ele estiver disponível eu vou avisar!

2. Pratique a visualização

Parece algo MUITO louco e MUITO abstrato! Mas é comprovado que quando atletas ou qualquer pessoa que quer melhorar uma habilidade específica pratica a visualização, a melhora da habilidade é significativa. Eu vou inclusive deixar abaixo um vídeo do TED que explica isso. Caso você não entenda inglês, vá nas configurações desse vídeo e ative as legendas em português que você vai conseguir assistir!

E como funciona? Sente-se num lugar que você fique tranquila, feche seus olhos e se imagine fazendo a sua pirueta. Imagine no máximo de detalhes que você conseguir: é pirueta simples, dupla, tripla? De quarta, de quinta? En dehors, en dedans? Na ponta, na meia ponta? Onde você está fazendo a sua pirueta: na sala de aula? Alie toda essa visualização à sua prática de treinos que vai te ajudar!

3. Pare de se sabotar! Pra já!

Junto com a visualização, comece PARA ONTEM, A ELIMINAR DA SUA VIDA, FRASES COMO “AI, MEU DEUS, PIRUETA”! “EU NÃO VOU CONSEGUIR!” e TROQUE POR “EU VOU GIRAR E VAI SER JÁ”, “EU SEI FAZER PIRUETA”, “EU JÁ APRENDI A FAZER PIRUETA NA PONTA, É SÓ FAZER DE NOVO” e coisas do tipo. Eu sou MUITO visual! Para vocês terem uma ideia, eu comecei a escrever em post-its no meu computador pessoal, no meu planner, em várias anotações frases como essa e outras como “eu vou girar sim ou sim” (em homenagem ao jeito de falar da minha professora), “vem pirueta tripla na ponta”, “eu vou arrasar na pirueta”, “a pirueta dupla vai sair”, e por aí vai. Também ajuda pensar no que você tem que fazer na hora do giro: afunda o plié e sobe, por exemplo. Parece coisa de maluco, mas funciona! A nossa mente entende tudo o que a gente fala, seja para o nosso bem, seja para o nosso mal! Então, pare de se sabotar e bora usar isso ao seu favor!

4. Musicalidade nas piruetas

A musicalidade no ballet é importante em TUDO! Em qualquer passo que a gente for fazer, inclusive nas piruetas é importante fazer na música! Por isso, quando você for treinar, seja em casa, seja na sua sala de ballet, procure treinar com música! Ela vai te ajudar a fazer a pirueta corretamente e vai te fazer a pensar na própria música ao invés de pensar no pavor que você tem da pirueta. Lá vou eu revelar mais uma mania esquisita que me ajuda: quando eu treino na música, eu penso o passo no ritmo da música e isso vale para a pirueta também. Sabe as músicas que usamos para treinar pirueta do ballet Don Quixote? Clica nessa música aqui e canta assim na hora de fazer pirueta: “degagé plié, e vamos giraaar”. Pode cantar mentalmente, tá? Também funciona e ninguém precisa saber o quão doida a gente é! haha! Para mim funcionou, vale o teste! De toda forma, mesmo que você não fique cantarolando, girar na música vai te ajudar e isso é um fato!

Foi isso que me ajudou num dos treinos de pirueta em que eu consegui fazer uma pirueta tripla “meio mal feita”, mas no caminho, que eu mostrei no vídeo.

[EM TEMPO] – EM FEVEREIRO DE 2021 EU FINALMENTE CONSEGUI FILMAR A MINHA PIRUETA TRIPLA NA PONTA PERFEITA, MEU POVO! PRÓXIMO PASSO: MASTERIZAR!

Assistam esse meu vídeo acima até o final, que vocês vão ver até que eu reagi com plenitude! A música eu até coloquei depois (tinha outras pessoas na turma), mas eu tava com uma música na minha cabeça na hora. A “música mental” também ajuda. rs.

5. Controle a sua respiração! Não deixe as suas emoções dominarem você!

Não é a primeira vez que eu falo de respiração por aqui! Mais uma coisa que parece abstrato, mas que tem a sua razão de ser. Toda vez que ficamos estressados, com medo, ansiosos, em várias situações da nossa vida, inclusive no ballet, como, em passos que nos dão medo, ou antes de enfrentar o palco, a nossa respiração fica mais curta e mais pesada. Quando você se sentir assim, respire fundo e acalme a sua respiração. Domine suas emoções! Não deixe que elas dominem você! As nossas emoções mudam a nossa respiração, então vamos reverter isso: vamos mudar a nossa respiração e ter o total controle sobre o que sentimos. Quando a nossa respiração está alterada por nossas emoções, isso afeta o nosso rendimento, então, por isso, vale a dica de respirar fundo se você sentir que a sua respiração está tensa porque você vai fazer uma pirueta. No vídeo abaixo eu dou umas dicas para usar a sua respiração no ballet. Vale a pena dar uma conferida.

6. Se for necessário, dê um passo para trás!

Parece contraditório. Mas se você não está conseguindo girar de JEITO NENHUM volte atrás. Como assim? A sua dupla não sai? Faça a simples até você ficar perfeita! Treine o balance no passé até você ficar perfeita e aos pouquinhos você vai avançar. Eu sei que dá MUITA ansiedade algumas vezes colocar o pé no freio. Mas vai por mim, quanto mais a gente se pressiona, menos a pirueta sai. Eu só consegui masterizar a minha pirueta dupla na ponta quando eu comecei a pensar na minha simples perfeita. Isso ajuda a limpar a sua pirueta e a limpeza nos ajuda MUITO a progredir!

[EM TEMPO] Lá no insta deixei um exercício que o meu professor, o Pedro Kraszczuk, passou para a gente na aula e eu estou passando para vocês. Não é simples, é desafiador! E se você estiver lendo esse post agora, está desafiada a fazer também! Compartilha no seu instagram me marcando com #desafiotutudaju que eu vou ver você fazendo! O link está aqui! Ele está super explicadinho na legenda do post, mas se ainda assim você tiver dúvidas, pode me perguntar.

7. Não se pressione!

Como eu disse na dica anterior, quanto mais a gente se pressiona, menos a pirueta sai! “Ah, Ju! Se é assim eu vou parar de tentar!” ERRADO! Não é isso que eu quero dizer! Vou explicar. Se você chegou nesse post até aqui e/ou assistiu o vídeo do canal é sinal que você quer melhorar no ballet e isso é um ÓTIMO passo inicial! Traçar metas, colocar uma data, é ótimo para nos fazer alcançar nossos objetivos. Mas, especialmente se você não dança profissionalmente, não coloque esse peso em você! Calma! E saiba que, assim como a minha hora chegou, a sua hora também vai chegar!

Ao invés de “minha pirueta tem que sair porque (…)” – aqui coloque o que você costuma pensar: “minha professora está olhando”, “eu já errei muito, não é possível que eu vou errar de novo”, “estão filmando isso”, “é apresentação não posso fazer feio” (esses pensamentos, da mesma forma que podem impulsionar, se te deixarem tensas só vão te atrapalhar. Troque por “eu vou fazer até acertar”, “eu não vou parar de tentar até conseguir”. Isso foi muito esclarecedor numa conversa com a minha terapeuta.

8. Saiba descansar!

Tão importante quanto o treino é o descanso! O corpo e a mente precisam disso! Não tá saindo de JEITO NENHUM naquele dia e você já treinou muito e está exausta de tentar? Calma! Descansa por alguns dias e volte a treinar depois! Você vai ver que muitas vezes, tudo o que a gente precisa é de um tempo para descansar e relaxar um pouquinho! Dá ansiedade e às vezes pensamos: “Afff! Será que eu nunca vou conseguir fazer uma pirueta decente?” Aí é que não sai mesmo! Dá uma pausa nos treinos, descansa por alguns dias, volte a treinar que você vai conseguir!

Você vai ver que pirueta é cabeça pura! Não só no sentido de marcar a cabeça, mas do que fazemos com a nossa mente, nossos pensamentos. Como eu já falei nesse e também em alguns posts, a mente pode nos derrubar ou nos levantar! Então, quando for assim, deixa esses sentimentos passar e tente de novo outra vez alguns dias depois! Você vai ver a diferença que a leveza na mente vai trazer na sua pirueta!

9. Não descarte a possibilidade de fazer terapia!

É claro que separei as dicas que me ajudaram MUITO e me fizeram girar! Mas, cada bailarina sabe do seu processo e do que realmente precisa! Você já pensou em fazer terapia? Pode ser que esclareça para você algumas coisas, assim como esclareceram para mim (ex: cobrança excessiva pela perfeição, a pressão que colocamos na gente, medo de errar….). Não vou indicar profissionais aqui, por cada um tem a sua preferência. Mas sempre vale se conhecer melhor, especialmente nesse momento conturbado em que muita gente está sofrendo com ansiedade e depressão. Se você é uma dessas pessoas, procure ajuda profissional e saiba que você não está sozinha!

Se você quiser conversar sobre seus medos na dança, pode me chamar no insta que eu posso conversar sobre isso com você! Todas nós temos os nossos! O importante é estar feliz com a nossa dança!

 

Essas foram as minhas dicas de hoje!

Alguma dessas você ainda não conhecia?

Fala nos comentários que eu vou adorar saber!

Te vejo no próximo post!